3 de novembro de 2010

MULHER ROSa





O poeta é como o príncipe das nuvens.
As suas asas de gigante não o deixam
caminhar.

(Charles Baudelaire)




No mundo existem muitas mulheres de belezas raras e exóticas,
                                                      variadas cores e etnias.

Branca, negra, parda, amarela,
cabocla, mameluca, mulata e
rosa.

A ultima se destaca das demais, não imaginava que tal
                                                       pudesse existir.

Ela é mágica, simplesmente encantada.

Eu não concebia que pudesse
ver tanta graça em alguém.

Tentei desviar meu olhar dela,
              mas tentei em vão,
como se com minhas mãos
fosse capaz de reverter o
curso de uma legião.

Sua luz me atraia assim como
a terra atrai a lua a sua orbita,
fazendo com que a mesma
sempre esteja a cirandar em
torno de si ao ritmo de uma
cantiga muda e eterna.

Senti que tudo ao seu redor perdia a luminosidade,
cor, tom e intensidade, ante sua pele rosa,
este tão raro, puro e singelo, que
chega há ser divino.

Ela estava envolvida em mistérios.

Intuí que para seu coração tocar
apenas com simples palavras,
mentiras e verdades não seria
                                 capaz.
Por mais que levantasse as mãos
a estrela jamais iria alcançar.

Precisava de encanto e palavras mágicas para que ela viesse me olhar.

Foi a partir daí que meu coração
ensinou-me á arte de poetizar.

A poesia me deu asas de cerâmica,
com elas pude voar e a estrela tocar.

Como eu poderia descrevê-la?

Sinto-me assustado e ao mesmo tempo
admirado, assim como a criança que pela
primeira vez contempla a imensidão
misteriosa do mar e com espada cega
na garganta fica a murmurar:
-Sou um gafanhoto ante este
deserto esverdeado.

Todavia isto não me impediu de conquistá-lo
                com minhas caravelas de papel.

Sobre suas ondas, tormentas e abismos navegar,
                              seus mistérios desvendar.

Sei que posso chegar ao fim do mar,
lugar onde as ondas nascem em
virtude das batidas do coração de
                                   Netuno.

O seu caminhar é repleto de elegância
e de tal delicadeza que aparenta estar
sobre as nuvens a caminhar.

Ela caminha sempre com
absoluta certeza de cada passo
que vai dar, assim como o felino que sobre o
galho mais fino da arvore esta sem medo a se equilibrar.

Seu olhar sem fim me fascina e me puxa para si com o
                                        redemoinhar de sua íris.

O fulgor dos seus olhos é intenso
como o grandes fornalhas que podem
provar e derreter os nobres minerais,
enxergando assim a pureza e essência
do caráter de cada um de nós.

Sua pele cor de rosa, este tão cálido,
é de um caráter indefinível.

Meus olhos ao reflexo do sol vêem o rosa quase ser branco como a neve,
                    nas sombras ele aparenta ser vermelho como o carmim.

Sua a feição de uma menina simples e inocente ás vezes da lugar
há traços de uma rainha, de serenidade e autoridade imponente.

A curva dos seus lábios assemelha-se ao rio
que serpenteia pelas densas florestas e suas
águas negras ocultam sua real profundidade.

O rosa é maculado pelo vermelho da sua boca,
cujas dimensões e proporções perfeitas
por mãos divinas foram esculpidas.
 
A sua textura é como a de uma pétala rosa na vermelha rosa prematura.

Seu cabelo flamejante forma uma moldura
perfeita e excelente, ele realça ainda mais
a beleza do seu rosto que possui uma pinta
quase imperceptível na bochecha direita.

Seu corpo é todo belo e não há nada exagerado,
suas curvas foram pelo Eterno modeladas.

 Sem duvidas ela é detentora de uma
beleza lendária, isso aliado a sua cor rosa
me impressionou, porém, ao conversar com
ela percebi que ela não era uma deusa
                                      mitológica.

Simpatia contagiante,
florida com alegria,
sisuda nas palavras,
sincera e inteligente,
mestra em sonhos,
de voz doce e mansa.

No mundo existem muitas mulheres, de belezas raras, exóticas e de variadas
cores e etnias.

Houve uma pela qual me apaixonei,
ela mudou o meu jeito de viver.

Minha vida agora se divide com o
antes e depois que a encontrei.

Seu nome é...

Conhecida por ser
mágica e encantada,
de uma beleza rara e
em meio á multidão
destaca-se por ser
a Mulher Rosa.




Autoria: Jordão Tomaz

Um comentário:

  1. Seu blog é ótimo Jordão.

    Gosto muito de percorrer por suas palavras, analisar seus pensamentos.
    Gosto muito de ler você !

    Abraços,


    Giseli

    ResponderExcluir